Netflix vai ficar mais rápido em 2016 com novo algoritmo

Postada em: 16/12/2015 10h51m
Atualizado:   16/12/2015 10h52m

Um novo algoritmo do Netflix poderá deixar o serviço de streaming mais rápido e inteligente em 2016. A mudança vai racionalizar o processo de codificação dos conteúdos oferecidos para melhorar a velocidade do streaming, sem perdas na qualidade. Com isso, cada série ou filme terá a sua qualidade adaptada. 

Atualmente, o sistema usado para converter os vídeos e transmiti-los na plataforma apenas monitora a quantidade de banda que o usuário dispõe, ajustando a qualidade do vídeo em tempo real de acordo com a velocidade da conexão. A novidade foi revelada por profissionais do Netflix ao site da revista Variety.

Nas contas do Netflix, o novo método vai economizar 20% de banda. O algoritmo vem sendo desenvolvido nos últimos quatro anos e funciona da seguinte forma: em vez de adequar a qualidade do conteúdo aos limites de banda de quem consome o vídeo, o Netflix passará a codificar diferentes filmes e séries de várias formas. 

Enquanto filmes como "Os Vingadores" exigem a máxima qualidade de áudio e imagem, episódios de séries animadas ou de animações para crianças podem ser reproduzidos em qualidade tecnicamente inferior, mas sem prejuízos para o usuário.

Ao longo dos anos, o Netflix vem realizando testes cegos, em que um televisor exibe conteúdo gerado a partir dos algoritmos atuais, que exigem maior conexão. Do outro lado, um aparelho transmite o mesmo filme, só que a partir dos novos algoritmos. Segundo a Variety, as plateias não foram capazes de perceber diferenças entre os dois modos de reprodução nos testes feitos.

Vídeo é informação

Para entender melhor a nova abordagem, e os benefícios dela, basta compreender que o que determina a qualidade de um vídeo, além da resolução em que ele é exibido, é a taxa de bits, ou bitrate. Quanto maior esse número, maior é a quantidade de informação que o vídeo armazena em um segundo. Um vídeo Full HD com 500 kbps (kilobytes por segundo), por exemplo, vai ter uma qualidade baixa, enquanto um vídeo com a mesma resolução, mas 5000 kbps, terá alta qualidade de imagem e som. Quanto maior o bitrate, maior o tamanho do arquivo.

O novo algoritmo do Netflix racionaliza o processo de codificar o vídeo armazenado nos servidores da empresa antes de exibi-lo. A partir do ano que vem, todo conteúdo disponível no catálogo do serviço terá a aplicação do algoritmo que identifica a taxa de bits ideal para que reproduzir em boa qualidade.

Segundo o Netflix, episódios diferentes de uma mesma série terão “receitas” diferentes. Enquanto um deles pode ser codificado numa taxa de bits considerada inferior, outro pode precisar de mais informação para que o resultado, na tela da TV, do celular ou do computador apresente melhor qualidade, mas sem pesar tanto na conexão.



Netflix
  • Foto: Divulgação
  • Fonte: Variety/Techtudo
  • Postador: Administrador

Digite o codigo abaixo:

Recarregar imagem