Serviço de música da Apple terá streaming gratuito mas limitado

Postada em: 10/05/2015 13h42m
Atualizado:   10/05/2015 13h43m

Tudo aponta para que na WWDC 2015 a Apple apresente ao mundo a sua novidade maior no mundo da música. O seu serviço de streaming, baseado no que receberam com a compra da Beats, pretende conquistar um espaço que é agora de outras empresa.

Muitos rumores têm estado a surgir sobre o que a Apple se prepara para apresentar e o mais recente dá conta de que este serviço terá uma componente gratuita, mas muito limitada, quando comparada com o que existe já no mercado.

A Apple quer ganhar o mercado com este serviço e substituir várias ofertas que tem já, congregando-as debaixo de uma única plataforma. Para isso deverá usar o serviço de streaming de música que a Beats construiu e que tinha já a funcionar quando foi comprada.

Enfrentará uma concorrência forte e que usa modelos de negócio que são bem diferentes dos que a Apple usa, e que têm dado provas de funcionarem bem.

Do que agora se soube a Apple pretende disponibilizar este serviço em moldes diferentes da concorrência, mas mantendo alguns dos seus conceitos.

O que mais irá interessar aos consumidores é o streaming gratuito, que a Apple irá ter mas muito limitado. Fala-se que apenas será possível aos utilizadores usarem este serviço de forma gratuita por um período bem definido, que durará entre 1 a 3 meses.

No fim desse período os utilizadores precisam de subscrever o serviço e começar a pagar mensalmente para a sua utilização.

Será também dada a possibilidade aos artistas de carregarem trechos das suas músicas, que vão poder ser ouvidas sem a subscrição do serviço.

Também o iTunes Radio vai ser alterado, com as suas playlists a passarem a ser geridas por pessoas e não por máquinas, dando-lhe assim uma nova qualidade, mais adaptada aos utilizadores.

A decisão do período de duração do streaming gratuito será feita pela Apple em resultado do que conseguir negociar com as editoras. A empresa entende que o modelo assente em publicidade não é rentável e vantajoso, e por isso não o está a equacionar. Segundo a Apple este modelo afasta os utilizadores dos serviços pagos e que rendem muito mais às editoras.

Esta deverá ser também a razão porque tem estado a tentar convencer as editoras a abandonarem os contrato que têm celebrados com empresas que oferecem este tipo de serviços de streaming. O seu principal alvo é, sem qualquer dúvida, o Spotify e o YouTube.

Será já dentro de um mês, dos dias 8 a 12 de Junho, que tudo será dado a conhecer. Espera-se que seja na WWDC 2015 que a Apple mostre ao mundo o seu serviço de streaming, em todas as suas vertentes.



Apple, Streaming
  • Foto: Divulgação
  • Fonte: pplware.sapo.pt
  • Postador: Administrador

Digite o codigo abaixo:

Recarregar imagem